Desafios metodológicos para uma conceituação jurídica da agricultura familiar em tempos de internacionalização de terras na América Latina

  • Luís Felipe Perdigão de Castro Universidade de Brasília (UnB), Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central (FACIPLAC), Centro Universitário de Desenvolvimento do Centro Oeste (UNIDESC),

Resumo

O artigo analisa como o termo e as práticas da agricultura familiar recuperam e sintetizam toda uma trajetória de diversidade sociocultural e de lutas políticas, não se fechando em um conceito estanque ou categoria jurídica uniforme. O objetivo é debater como os conceitos jurídicos se relacionam com o campo mais amplo das lutas por terra – como lugar de vida e trabalho – no recorte da internacionalização de glebas. Através de pesquisa bibliográfica, os desafios e problemas metodológicos de se conceituar a agricultura familiar, tomam por parâmetro dados técnicos e jurídicos de alguns países da região, especialmente Brasil e Colômbia. Para tanto, delimita-se brevemente o que seja a internacionalização de terras. Em seguida, debate-se a complexidade do conceito de agricultura familiar como parte do desafio de se compreender mais amplamente os sujeitos que sofrem e lutam contra a internacionalização de glebas.

Biografia do Autor

Luís Felipe Perdigão de Castro, Universidade de Brasília (UnB), Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central (FACIPLAC), Centro Universitário de Desenvolvimento do Centro Oeste (UNIDESC),
Doutorando em Ciências Sociais, pela Universidade de Brasília (UnB). Integra o grupo de pesquisa no CNPq, de Estudos Comparados de Sociologia Econômica, da Universidade de Brasília. Compõe também o grupo de pesquisa BICAS - Iniciativa BRICS de Estudos sobre Transformações Agrárias, da Universidade de Brasília. Coordenador do grupo de pesquisa "Terras e Territórios" do Unidesc. Professor de graduação e pós-graduação, no Unidesc e Uniceplac.
Publicado
01/09/2019
Seção
Artigos